Contratando Influenciadores Digitais: No que prestar atenção?

Contratando Influenciadores Digitais: No que prestar atenção?
11 mar

Quando começamos a estudar sobre marketing, aprendemos que as marcas irão colocar dinheiro onde o público está. Os millennials e principalmente, a geração Z em diante, consomem mais conteúdo na internet do que nos meios tradicionais de comunicação. E pasmem: a geração Z se tornou, em 2019, a maior geração do mundo e formam um poderoso grupo de consumidores. Essa geração está bastante atenta à legitimidade das marcas, empresas e organizações e essa característica é uma forte tendência para os próximos anos.

A relação entre influenciadores digitais e seus públicos, geralmente, é baseada em confiança. Por estes motivos, o uso dos influenciadores das redes sociais nas campanhas de marketing tem se consolidado como uma estratégia certeira. Apesar disso, muitas marcas, principalmente as pequenas, ainda não sabem usar corretamente o poder dos influenciadores digitais e erram em suas ações publicitárias.

  Na Allike Brasil, em 2018, tive a oportunidade de trabalhar com um influenciador digital em ascensão e ver, na prática, esses erros. Gostaria de compartilhar 3 dicas que são fundamentais para não cometê-los.

  1. SAIBA QUAL É O SEU OBJETIVO
Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Recebia constantemente propostas de ações em que, quando me explicavam melhor a campanha, visivelmente, as marcas não sabiam os motivos de estarem escolhendo o meu influenciador por não entenderem ao certo o objetivo da ação.

Saber quais são os objetivos gerais e específicos da sua campanha são fundamentais para entender quais serão suas metas e KPIs e acertar na escolha do influenciador digital que te entregará melhores resultados.

Por exemplo: Se a sua campanha tem o objetivo de Awareness (quando a marca quer visibilidade e que muita gente tenha consciência que a marca/produto/serviço existe), o ideal é que você use uma celebridade (personalidades com muito alcance).

Se o seu objetivo é Brand Perception (construção de imagem e percepção de marca), a melhor escolha é uma autoridade (especialista) de mercado ou algum influenciador que seja conhecido por seu público por consumir e indicar produtos/serviços de qualidade.

Mas se o seu objetivo é gerar conversão e vendas, a estratégia que tem se usado ultimamente, é de contratar micro influenciadores. O mercado publicitário vem descobrindo o potencial desse tipo de influenciador, pois perceberam que as pessoas têm uma tendência maior a comprar algo recomendado por alguém parecido e “próximo” de você do que de uma pessoa que é desconhecida e distante.

2. COMPREENDA O PROPÓSITO DA SUA MARCA E OBSERVE SE ESTÁ DE ACORDO COM O PROPÓSITO DO INFLUENCIADOR

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Como a sua marca muda o mundo? Que problema ela resolve? O que ela inspira nas pessoas? Essas questões são muito importantes para definir o propósito. Saber qual é o propósito da marca que você representa e da sua campanha e entender o propósito do influenciador é fundamental para escolher certo.

Eu perdi a conta das inúmeras propostas de marcas que não tinham o propósito claro ou alinhado com o influenciador, ou tinham ações publicitárias sem propósito.

Um bom influenciador, preocupado com sua imagem e público, sempre irá prestar atenção nisso, pois se ele errar na representação da marca, ele perde credibilidade e a confiança de seu público. O inverso deve acontecer também. Se um influenciador que não tem nada a ver com os propósitos da marca aceitar fazer a ação, nem o público dele e nem o da marca irão acordar.

3. ENTENDA QUAL É O SEU PÚBLICO E O PÚBLICO DO INFLUENCIADOR

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem

Acho que no tempo que trabalhei com esse influenciador, o maior erro que eu identificava era de público. Recebia inúmeras propostas de marcas e empresas que tinham um produto para um público AA com hábitos de consumo e estilos de vida de um jeito e queriam fazer ações com influenciador com público C que tinha hábitos de consumo e estilos de vida completamente diferente.

Estudar o público do seu produto/serviço, desenhar a persona e entender de fato quem é a pessoa que vai consumir o que você irá oferecer é fundamental. Tão importante quanto fazer o estudo de público do influenciador que você quer usar.

Quando falo de estudo de público e desenho da persona, eu não estou falando somente de sexo, de idade, região e poder aquisitivo. Estou falando de estilo de vida, do que pensam, sentem e dizem, do que usam e consomem, de como se comportam e das dores que tem. Se você não entender exatamente quem são os públicos da sua marca e do influenciador, há grandes chances de errar a ação.

Essas dicas são baseadas na minha experiência com marketing de influência, trabalhando como assessora de um influenciador digital de grande porte. Caso você trabalhe para as marcas/empresas e tenha a visão de quem contrata esses influenciadores, e queira compartilhar dicas e comentários, gostaria muito de ouvir. E se você for uma pessoa que nunca trabalhou com isso, mas interessada no assunto, estou à disposição para um papo! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Powered by